Notícias

Notícias

Notícias ABRA

ABRA NA MÍDIA: Grupo propõe regulamentação para o setor de reciclagem animal

 No projeto Articulação da Rota Estratégica do Setor de Biotecnologia Aplicada à Indústria Animal há um grupo de trabalho que discute a visão que trata das questões relacionadas ao meio ambiente para este setor. Participam do grupo representantes da Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA), Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Brasil Foods, Embrapa Suínos e Aves, Fundação ABC, Haarslev Industries Ltda, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema), Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Paraná (Sindiavipar), Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado do Paraná (Sindicarne), entre outros.

O principal objetivo do projeto desse grupo, Valor Econômico dos Resíduos e Subprodutos da Indústria Animal, é promover a discussão sobre a atualização da legislação federal para o setor de reciclagem animal, visando a agregação de valor aos subprodutos da indústria animal. A reciclagem animal consiste na coleta e processamento de resíduos de origem animal, sendo considerada uma forma de destinação final equilibrada dos pontos de vista econômico e ambiental (aumenta a eficiência e aproveitamento no uso da matéria).

O início do debate sobre as perspectivas da reciclagem animal no Brasil, proporcionado pela Articulação Setorial, motivou a organização de uma reunião na ADAPAR, no dia 27/09/2013, para discutir alternativas a fim de regulamentar a destinação adequada para os animais mortos nas propriedades rurais, no âmbito do Estado do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Estavam presentes neste encontro o diretor-presidente da Adapar (Dr. Inácio Kroetz), os Serviços Estaduais de Defesa Sanitária Animal do Estado de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, representantes da Superintendência Federal de Agricultura no Paraná, além de federações e associações (ABRA, Associação Paranaense de Suinocultores, Ocepar, Sistema Federação da Agricultura do Estado do Paraná, Sistema Fiep – Observatórios Sesi/Senai/IEL), EMATER e indústrias (Batavo Cooperativa Agroindustrial).

Nesta reunião, deliberou-se a construção de um documento para alterar o Decreto nº 30.691/1952 (Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal – RIISPOA), a Instrução Normativa nº 09/2010 (sobre registro e fiscalização dos produtos das graxarias) e a Instrução Normativa nº 34/2008 (sobre processamento de resíduos de origem animal),  com a pretensão de normatizar os procedimentos de coleta, transporte e destinação de animais mortos de unidades produtores de aves e suínos, com vistas à utilização em produtos de valor agregado.

Utilizou-se como base para o documento o parecer técnico emitido pela Embrapa Suínos e Aves em consideração ao Ofício n° 0547/GAB da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (CIDASC), manifestando-se favorável à normatização de procedimentos para retirada de animais mortos das granjas de aves e suínos com vistas à utilização em produtos de valor agregado.

Segundo a Embrapa, a normatização dessa atividade minimizará consideravelmente os riscos ambientais, sanitários e de saúde pública decorrentes de práticas em uso atualmente, como enterramento, incineração e outras práticas não padronizadas. Além disso, poderá proporcionar um incremento à sustentabilidade econômica da cadeia produtiva, gerando mais produtos com valor agregado.

A proposta de regulamentar a reciclagem animal para o setor avícola e suinícola foi entregue pelo Dr. Inácio Kroetz, diretor-presidente da Adapar, ao Ministério da Agricultura na sexta-feira (04/10/2013).

Articulação das Rotas Estratégicas

Este programa resulta do projeto Rotas Estratégicas para o Futuro da Indústria Paranaense, que evidenciou a necessidade de articulação dos atores dos setores apontados como mais promissores para o desenvolvimento do estado. O objetivo é fornecer informações estratégicas e promover a interação entre representantes de setores portadores de futuro para a concretização das ações previstas no projeto “Rotas Estratégicas para o Futuro da Indústria Paranaense”. Fonte:  Fiepr